sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Com o fim de semana (e o Natal) à porta...

                                                                                        www.hazu.hr

O mês de Dezembro começa este fim de semana. É tempo de fazer o pinheiro e começar a decorar a casa. É precisamente essa a nossa sugestão de fim de semana. Antes das decorações sugerimos que aproveitam as horas mais quentes do dia para passear ao ar livre. A natureza pode fornecer gratutamente belas coisas para decorar os nossos pinheiros. Pinhas, folhas coloridas de outono....Terão com certeza guardadas as decorações do Natal passado. Podem sempre aproveitá-las já que estamos em tempo de poupança. No entanto, sabe sempre bem ter umas peças novas para decorar a casa. A nossa proposta é que se juntem em família e, às coisas que foram encontrando no vosso passeio, juntem outras feitas por vocês. Até ao Natal, vamos deixando por aqui algumas sugestões. O que acham DESTA? Bom fim de semana!

Livros da nossa biblioteca

                                                                www.goodreads.com

   Na noite em que nasceste, madrugada adentro, coisas estravagantes aconteceram. À hora exacta em que o teu corpo deixava, finalmente, o corpo da tua mãe, os galos desataram a cantar como se o Sol já tivesse nascido. Eram três horas da madrugada. Os animais no curral foram tomados por uma estranha inquietação e de um momento para o outro um barulho ensurdecedor tomou conta de tudo.
   O pessoal da terra saiu à estrada, todos sabiam que a sua mãe estava a parir, mas ninguém associou as duas coisas, não senhora. O que pensaram, e esta história foi contada tantas e tantas vezes que a sei de cor, era que vinha aí um tremor de terra, que a seguir aos animais seria a vez da besta que vive dentro da terra começar a rosnar.
   Mas não.
   As pessoas esperaram em vão e depois cada uma voltou para a sua cama.
   Eu, nos entretantos, cuidava da tua mãe com a ajuda da Ti Clotilde.
   Eras o sexto filho e a tua mãe estava já habituada às dores, aos sangues e ao resto. Como sempre, em todos os partos que fiz, amarrei o cordão umbilical, enrolei-o em serapilheira e enterrei-o, mais tarde, no fosso ao cimo do monte.
Alma e os Mistérios da Vida
de Luísa Castel-Branco

Viajar... - Oficina de Escrita Poética

                                                           nicoleart7.deviantart.com

Os meus olhos na ilha,
O meu corpo no mar.
O meu grande objetivo
É um dia lá chegar.

Não sei o que estará lá,
Tenho medo de descobrir.
Se é a perfeição ou a desilusão
E se um dia conseguirei sair.

Agora que aqui cheguei
Não me desiludo com o que vejo.
Não digo que seja a perfeiçao
Mas também não é uma desilusão.

Juliana e Lucas 9ºC

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

"5as Mensais" - Encontros para melhorar a vida

Apareçam na biblioteca!

Com menos de um euro por dia....

                                                                              thebighand.org

The Big Hand é uma organização não-governamental cujo principal objetivo é ajudar crianças em situações desfavorecidas. Esta organização procura garantir que as crianças tenham acesso à educação, à saúde, à alimentação. Enfim, aos cuidados necessários para que possam crescer de forma mais saudável. Todos podemos ajudar e, uma das formas de o fazer, é apadrinhando uma criança. Para quem estiver interessado, basta espreitar AQUI


Livros da nossa biblioteca

                                                                  livros.grandemercado.pt

As motos, a velocidade, o surf, a música estridente dos Smashing Pumpkins, os amores de ocasião, a noite e cerveja eram os heróis que Ricardo elegera e sem os quais não podia viver. ser radical era isso, a forma de se afirmar, a maneira que Ricardo encontrou para desafiar os jogos incontidos dos afectos e lançar-se na aventura. Rasca ou não, a sua geração compreendeu a hipocrisia dos políticos, deparou com a série infindável de clichés cuja identificação com os brandos costumes não coincidem com o seu sentido de realidade. Daí o grito desesperado: "Estou vivo e cheio de speed, yiiii!" Um dia, porém, o amor surgiu e Ricardo, o radical reencontrou-se, deu de caras consigo mesmo e o sentido da vida aconteceu...
Ricardo, o Radical
de Maria Teresa Maia Gonzalez


Viajar... - Oficina de Escrita Poética

                                                                     escrevalolaescreva.blogspot.com

Uma alma vazia
É como uma ilha desabitada,
É como andar de barco sem água.
Mas quando conseguimos o que queremos
É como se enchêssemos uma ilha
Ou puséssemos água para o barco navegar.

O que vemos à nossa frente
É o nosso obstáculo. 
O horizonte é o limite
Para tudo o que vemos e queremos.

Não nos podemos basear no nosso primeiro pensamente.
Temos que acreditar em  nós mesmos,
Mentalizarmo-nos que somos capazes
De fazer tudo o que queremos.

A inspiração baseia-se na nossa alma.
Temos que pensar para conseguir ultrapassar
Todos os obstáculos 
Que a vida nos coloca.

Os nossos pensamentos são como o mar;
São infinitos...
Um olhar tão profundo
Como uma maré intransponível.

Ângelo e Pedro 9ºC

Para Educadores, Pais e Encarregados de Educação

                                                                                           www.facebook.com
(para ampliar, clique na imagem)

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Livros (novos) da nossa biblioteca

www.planeta.pt

O Sebastião precisa de ideias para um trabalho na escola sobre a Primeira República. E nada melhor do que pesquisar a história ao vivo, não acham? O Micas e o Gugas dizem logo "estamos prontos!" E a malta vai toda passar um fim-de-semana a Alpiarça, para visitar a Casa-Museu dos patudos. Patudos? Sim, onde morava José relvas, o político que anunciou a Instauração da República no dia 5 de Outubro de 1910! Em Alpiarça, o parque de campismo é muito fixe, a Casa-Museu é fabulosa e a quinta à volta fantástica...Mas parece que onde o Micas chega, os mistérios vão atrás. será que há obscuras organizações ou monárquicos inconformados a quererem estragar as comemorações do centenário?
É que a estátua de José Relvas acaba de ser roubada...
Mistério na Primeira República
de Patrícia Reis

"Melhor Irmão..."

                                                                       atinytoes.wordpress.com

   No dia 28 de Outubro de 2009, a minha mãe ia a caminho do hospital para ter o meu irmão. Nesse mesmo dia eu estava na escola mas, mesmo assim, os meus pais informaram-me. Logo que o meu irmão nasceu, o meu pai ligou para a escola para me dar a notícia. Chamaram-lhe Pedro. Pedro Miguel.
   Mal as aulas acabaram, fui logo para o hospital para ver o meu irmão. Quando lá cheguei, os meus olhos ficaram maravilhados com a beleza da sua cara - uns olhos pequenos e um nariz que parecia uma bolhinha tão pequenina. Desde esse dia que a minha vida mudou completamente. Algumas vezes para o bem, outras para o mal. Mas, ter um irmão foi a melhor coisa que me aconteceu até hoje!
Ana Pinto 7ºB

Dá que pensar...

                                                                                    www.verdemovimento.com

Consumimos muitas coisas sem pensar nos riscos para a saúde. Este trabalho, feito numa escola, mostra o teor de açucar de bebidas que, infelizmente, fazem parte do dia-a-dia de muita gente...

terça-feira, 26 de novembro de 2013

A palestra de Ana Pedroso vista por uma mãe.




Filipa Araújo é mãe de quatro filhos; o Rúben com 15 anos, a Letícia com 13, o Zé Pedro com 8 e a Maria Francisca com 3. Conhecemo-la bem  pois trabalha, há já uns anos, como Assistente Operacional na nossa escola. As razões que levaram Filipa a estar presente na palestra dada por Ana Pedroso foram várias. "Sensibilizou-me o conteúdo da carta escrita aos pais pela professora Alice Leite. Como mãe, o tema interessou-me e a minha filha insistiu comigo para que eu viesse". Valeu a pena? "Claro que sim! Gostei muito da forma como a Ana abordou os assuntos. Falou-nos da sua experiência de vida, das decisões difíceis que teve que tomar para chegar onde está hoje. Senti-me confrontada pelo facto de, muitas vezes, por receio e por conforto, não agir de outra forma em relação à minha própria vida e às minhas decisões como mãe. Às vezes, porque achamos que estamos a proteger os nossos filhos, porque os amamos tanto, cometemos o erro de esconder deles as coisas que correm menos bem. Mas é um engano porque eles são os primeiros a aperceber-se." Alguma coisa mudou na  Filipa desde 6ª feira... "Nessa noite, quando me deitei, pensei nas palavras que tinha ouvido e no sentido que me fizeram. Desde esse dia que, apesar de continuar a ser a pessoa stressada que sou, percebi que é possível mudar algumas coisas na minha vida e na minha maneira de agir de modo a torná-la menos complicada. Hoje de manhã foi exemplo disso!" disse a Filipa a sorrir com os olhos..."Ficava ali toda a noite a ouvi-la!".
Ser educador, ser pai, ser mãe, ser responsável pelo crescimento saudável de uma criança, não é tarefa fácil. Quantas vezes somos tomados pela dúvida....
Em Dezembro, Ana Pedroso estará de novo na nossa escola. Desta vez para conversar com professores e Técnicos de Educação. Toda a ajuda é bem-vinda...!

Os nossos "Rappers"



Os rappers, Zé e Luís e o beatboxer, Tó.

Livros da nossa biblioteca

                                                                     www.blogdomadeira.com.br

O Segredo foi transmitido ao longo dos séculos, cobiçado ao mais alto nível, escondido, perdido, roubado e comprado por somas exorbitantes. O Segredo, antigo de séculos, foi compreendido por algumas das pessoas mais importantes da história: Platão, Galileu, Beetoven, Edison, Carnegie, Einstein, bem como outros inventores, teólogos, cientistas e grande pensadores. Agora, finalmente, O Segredo está a ser revelado.
O Segredo
de Rhonda Byrne

"Dia Maravilhoso..."

                                                                         collegelifestyles.com


   A minha irmã tem o cabelo castanho, olhos castanhos, lábios grossos. Não é muito gorda nem muito magra. É simpática, amável e preocupa-se muito com as pessoas. 
   O ano passado, no Verão, eu e a minha irmã fomos para o Algarve passar férias. Um dia, decidimos ir ao Zoo Marine. Andamos as duas em todas as piscinas e vimos as lojas de lembranças. Fomos ver um espetáculo de golfinhos e, no final, quem quisesse, podia ir nadar com eles. Eu e a minha irmã fomos! 
   Adorei esse dia. Especialmente a parte de nadar com golfinhos. a seguir voltamos para o hotel em que estávamos alojadas. À noite, eu e a minha irmã fomos visitar Albufeira. É muito bonito. As ruas estão todas cheias de barracas e cafés.
   Do Zoo Marine trouxe um colar com um golfinho e agora, quando olho para ele, lembro-me daquele dia maravilhoso. 
   Foi um dia marcante para mim e para a minha irmã!

Ana Beatriz 7ºB

Este planeta é a nossa casa...

www.greenschool.org

...e todas as escolas deviam ser ASSIM


segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Livros da nossa biblioteca

www.planeta.pt

A Casa Fernando Pessoa, onde o poeta viveu, não tem teias de aranha nem madeiras a ranger. Está sempre em actividade e tem poesia de cima a baixo! acham vocês que não tem mistérios? Pois estão redondamente enganados. Não só a vida do genial senhor Pessoa é um labirinto com mulheres misteriosas que entram inesperadamente pela porta dentro como a poesia se revela tão excitante como perigosa! Eis como uma maratona de leitura se pode transformar de repente numa autêntica aventura para o Micas e os amigos...
Assalto À Casa Fernando Pessoa
de Patrícia Reis

                                                     

"A Minha Irmã Maria...

  atinytoes.wordpress.com


   A pessoa de que vou falar é da minha querida irmã que se chama Maria. A Maria tem dois anos, é alta para a sua idade e tem os olhos castanhos claros. A sua cara é muito fofinha.  nem é magra nem é gorda. tem o peso normal.
   Sempre massacrei os meus pais, dizendo:
   - Quero uma irmã, quero uma irmã...
   Até que eles falaram e decidiram que me iam dar uma irmã.  Fiquei super contente!
   Foi então que o tempo foi passando, até que chegaram os últimos dias. Ajudei sempre muito a minha mãe durante a gravidez.
   Finalmente chegou o dia 18 de Novembro, o dia em que a minha mãe foi para o hospital. A minha irmã nasceu às 20:10h e eu mal podia esperar para pegar nela. Estava com tanto medo de a deixar cair, mas peguei nela muito calmamente. De repente, ela soltou aquele lindo e primeiro sorriso nos meus braços. Fiquei muitíssimo contente!
   Até hoje, não amo nem amei tanto ninguém como a amo a ela.
Diana 7ºB




Este planeta é a nossa casa...

Uma óptima ideia para decorações de Natal e...

www.verdemovimento.com

...e o planeta agradece!


Violência Doméstica - Um tema sempre atual

                                                                                    Câmara Municipal de Vizela

Parabéns a todos os participantes!

video

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Com o fim de semana à porta...

                                                         Biblioteca Fundação Jorge Antunes

Hoje às 21:00 na Biblioteca Fundação Jorge Antunes, a apresentação do livro "Afagos da Alma" de Maria Nazaré Gonçalves pela professora Conceição Lima.

                                                            blogdoprofessorandrio.blogspot.com

Vai estar um fim de semana frio mas ensolarado. Aproveitem para fazer atividades ao ar livre. Está um Outono lindo e muito colorido! Bom fim de semana!

Palestra "Crianças de HOJE"

                                                                                               annamikii.org


Hoje, pelas 20:00h, convidamos pais e encarregados de educação para estarem presentes na biblioteca da nossa escola. Com a presença da oradora Ana Pedroso, do Instituto Anna Mikii, ir-se-á fazer uma reflexão àcerca das Crianças de Hoje. Como despertar nelas um novo Ser, como comunicar melhor com elas na escola e no meio familiar. Educar não é uma tarefa fácil. É um desafio que muitas vezes implica medos e preocupações. Toda a ajuda é bem-vinda!

"5ªs Mensais - Encontros para a Vida" na Biblioteca

A partir do dia 28 de Novembro e com regularidade mensal, irá decorrer na biblioteca da nossa escola a atividade "5ªas Mensais - Encontros Para a Vida". A primeira sessão é sobre o conceito da "núvem" em informática mas, como o título promete, poderão ser abordados uma infinidade de temas com vista a melhorarmos a nossa vida. Inscrevam-se!

Viajar...

                                                                        www.dicarapida.com


Uma alma vazia
é como uma ilha desabitada.
É como andar de barco sem água.
Mas quando conseguimos o que queremos,
é como se conhecessemos uma ilha
ou tivessemos água para navegar.

O que vemos à nossa frente
é o nosso obstáculo.
O horizonte é o limite
para tudo que vemos e queremos.

 Não nos podemos basear 
no nosso primeiro pensamento,
temos que acreditar em nós próprios,
mentalizarmo-nos que somos capazes
de fazer tudo o que queremos.

A ispiração baseia-se na nossa alma
e os nossos pensamentos levam-nos a conseguir.
Ultrapassamos os obtáculos 
que a vida nos coloca.

Os nossos pensamentos são como o mar.
são infinitos...
Um olhar profundo
como uma maré intransponível.
Ângelo e Pedro
9ºC

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

O melhor que Vizela tem... as Termas









Trabalho realizado pelo 7º F ( Português )

A Carta de Carolina Ruão

Carolina Ruão

A Carta


Há uns tempos atrás, Carolina Ruão veio fazer-nos uma visita. Foi um prazer tê-la connosco como poderão ler AQUI. Para agradecer a sua presença, os alunos do 9ºB escreveram uma carta a Carolina. A resposta não tardou.
Amigos Colegas do 9ºB Vizela
(sempre ao correr da pena e no meio de muito barulho)
   A vossa carta vai transformar este domingo num dia especial, pois já há muito tempo que não recebo correspondência privada. O dia não é o mais indicado porque tenho a casa cheia de barulho com netos que vão dos 3 anos aos 12 e por isso é difícil concentração com este ruído. Mas assim também não há assunto especial para tratar, está tudo bem.
   Vamos falar da minha ida aí. Gostei, gostei muito, pois isto de sair da minha "roda" tem um sabor especial. Imaginai-vos na minha idade; dias, dias, semanas, meses sem haver nada de novo e, de repente, ver-me assim num meio em que eu sou a "única". Tudo o mais é juventude, alegria, conversas desajustadas, mas tudo bem afinado, tudo no mesmo tom e dentro do nosso tema. Mas a "única" com uma diferença de 3/4 de gerações e que nem me lembro disso! Parece-me que estou numa aula própria em que não há professores e eu sou tão aluna como vós. Não é fácil imaginardes o que eu senti, pois digo-vos que é, foi, inesquecível. Quando me deitei ainda me julgava num recreio com muitos e muitos colegas em conversa sem nexo.  Durante horas não me senti sozinha, mas com aqueles e aquelas colegas dos anos 40, por isso há mais de 60 anos num colégio onde havia ordem, respeito, mas também muita, muita juventude e, como tal, muita irreverência. Fez-me relembrar os anos tão distantes em que tinha as minhas amizades preferidas, mas onde havia para com todos muito carinho, muita dedicação, que relembrada ao fim de tantos anos, fazem vir as lágrimas aos olhos pela recordação e saudade daqueles (e tantos) que já não estão connosco. Na minha idade é de louvar, agradecer a Deus, esta felicidade, esta presença. E não deixo de agradecer e simultaneamente pedir que todos os jovens de hoje possam ter uma vivência como eu tive. Dá para recordar tempos difíceis, porque os atravessei, (recordando tempos de guerra na Europa - nós felizmente estamos em paz), tempos de fome e atraso mental e cívico, mas fica sempre um espaço para reconhecer que valeu a pena tudo que de mau se viveu. O resultado foi positivo.  O que de bom havia, superava todas as dificuldades. Como é bom recordar numa vida tão longa, tão longa como a que estou a viver e entretanto, entrecruzar-me com grupos jovens como vós como é agradável, com deixa um sentido de felicidade e satisfação por estas oportunidades fugidias que dão horas e horas de prazer ao recordar os bons velhos tempos!!!
   Amigos acreditai que se vos pareci uma pessoa bem disposta, só vistes e apreciastes o que realmente sou: uma velha (90 anos) que não sente essa idade e que muitas vezes consegue deslocar-se na vida dezenas de anos atrás e ser a pessoa que tiveram ocasião de conhecer. Mas não esqueço a realidade... o que me dá vontade de vos voltar a ver qualquer dia. 
   Por hoje, um grande abraço que abrace todos (desculpem os atropelos neste abraço).
   A amiga,
   Carolina

"Eu olho para um quadro..."

                                                                       commons.wikipedia.org


A Lição de Anatomia do Dr. Willem van der Meer
Michiel Jansz van Mierevelt

Em termos objetivos, podemos observar nesta imagem, vários homens (vestidos de negro com gola branca e barba comprida), num local escuro. Está um homem deitado numa cama, morto, com a barriga aberta e com um manto branco a tapar-lhe partes do corpo. Podemos também observar objetos de corte e uma bacia metálica.
Em termos subjetivos podemos constatar que estamos no século XVI, devido ás roupas dos elementos do quadro. Certamente, o homem do meio é o professor e os restantes são alunos. O homem deitado será possivelmente um cadáver que servirá de instrumento para os alunos aprenderem os caminhos da medicina. Há uma certa agitação no local pois os alunos estão empolgados e curiosos com o que se está a passar.
Paula Catarina Azevedo Martins
9ºC

Yes we can!

                                                           www.verdemovimento.com

Livros (novos) da nossa biblioteca

                                                                  portalivros.wordpress.com

Para passar no Programa de Iniciação aos Dragões, o Hiccup tem de arranjar o seu próprio dragão e treiná-lo. Será que o dragão que conseguiu apanhar se vai revelar o companheiro de que Hiccup precisa, ajudando-o a tornar-se o Herói que o filho do Chefe da tribo deve ser? Para pôr o Hiccup e o Desdentado à prova, nada como um gigantesco dragão-marinho, que aparece na ilha de Berk para devorar todos os vikings!
Como Treinares o Teu Dragão
de Cressida Cowell

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Corta-Mato Escolar 2013



Esta fria manhã de inverno não demoveu os participantes da edição de 2013 do Corta-Mato Escolar que este ano se realizou na Escola Secundária de Vizela. Após terem sido distribuídos alimentos para dar mais energia aos nossos atletas, deu-se início às provas. Estão neste momento a decorrer mas assim que terminarem, voltaremos aqui para vos dar os resultados finais.
A Diana e a Margarida, do 8ºA, fizeram questão de participar nesta prova, escrevendo um pequeno texto jornalístico que aqui vos deixamos. Obrigada!

O Corta-Mato escolar é hoje. Os nossos colegas foram de autocarro até à Escola Secundária onde se realiza a prova. O Vasco e o Carlos vão correr por nós. Boa sorte para todos os atletas!

"Eu olho para um quadro..."

                                                               7dasartes.blogspot.com

Em termos objetivos, o quadro "Comedores de Batatas" de Vincent Van Gogh tem como elementos dois homens e três mulheres. Quatro das cinco pessoas que estão no quadro usam chapéus e vestem grandes casacos. As cinco pessoas estão sentadas à volta de uma mesa. A senhora do lado direito serve café ou chá e as restantes pessoas retiram comida de uma travessa que está pousada na mesa. Apenas se consegue observar rostos de quatro das cinco pessoas que estão no quadro pois há uma que está de costas. A casa é escura e há apenas uma luz.
Em tremos subjetivos, as pessoas representadas no quadro parecem viver num ambiente pobreza; pelos seus trajes, pela pouca quantidade de comida na mesa, pelo aspeto da casa que parece ser feita de material fraco.. As pessoas parecem tristes, o que pode estar relacionado com a pobreza em que vivem. A tristeza nota-se principalmente no rosto da mulher que está à direita. Num ato de gentileza, o homem que está ao seu lado oferece-lhe algo. O homem e a mulher do lado esquerdo apenas servem o que poderá ser o jantar porque nas janelas apenas se vê escuridão. O relógio marca as oito horas. O jantar poderá ser apenas batatas, pois está explícito no título do quadro.  A pessoa que está de costas, poderá ser uma mulher pois parece estar de vestido.
O quadro é antigo, não só pelo ano em que foi pintado (1885), mas também pelo candeeiro a petróleo que ilumina a casa. Em alguns sítios, as paredes parecem mais claras e em outras mais escuras. No entanto, penso que seja apenas o efeito da luz.
Sara Rafaela da Silva
9ºC


Livros (novos) da nossa biblioteca

                                                                        www.wook.pt
   Se perguntassem ao Máximo o que é que ele mais gostava de fazer, ele responderia sem hesitar: correr.
   desde pequeno que ele adorava sentir a crina a esvoaçar ao vento, o som ritmado dos cascos a bater no chão, a paisagem a passar por ele a grande velocidade...
   Devido a essa sua paixão, todo o tempo livre era passado a correr: corria de manhã para ver o sol nascer, corria para casa para chegar a tempo do almoço, corria para conseguir alguma coisa que lhe fosse pedida, corria quando nada mais havia para fazer...
   Ele e os amigos, na brincadeira, costumavam competir entre si para descobrir quem era o melhor e, quando o critério era a velocidade, já todos sabiam que o primeiro a cruxar a meta seria sempre o Máximo.
   Quando cresceu, este cavalo começou a participar em provas, e era com imenso orgulho que levava para casa todos os prémios juvenis que havia para ganhar.
O Tubarão Vegetariano
de Margarida Fonseca Santos
     Maria Teresa Maia Gonzalez
     Rita Vilela

Este planeta é a nossa casa...

                                                             www.verdemovimento.com

...e o planeta agradece!

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Concurso Nacional de Leitura

Terminou ontem  o prazo de inscrição para a 1ª fase do Concurso Nacional de Leitura.



No entanto, como há turmas ainda não representadas, o prazo para as inscrições é alargado até 22 de novembro (6ª feira).




Desafia a tua mente

O ano letivo 2013 - 2014 já vai no segundo enigma do  passatempo "Desafia a tua mente". O primeiro saiu no mês de outubro  e dele resultaram duas vencedoras:
Ana Beatriz Ferreira Silva, 6º E
Ana Carolina Lopes Castro, 6º E  
O desafio do mês de novembro é o seguinte:



Leiam com atenção, ativem o raciocínio e o cálculo mental!

 Boa sorte!


Livros (novos) da nossa biblioteca

                                                                    oficinadolivro.blogs.sapo.pt
   Honor encaminhou-se para a porta, destrancou-a e saiu para o alpendre, olhando na direção da moita de malvas-brancas. E ali estava ele, deitado, parcialmente sobre o lado esquerdo do corpo e de face para baixo, o rosto virado para o lado oposto daquele em que ela se encontrava e com o braço esquerdo estendido acima da cabeça. Permanecia imóvel. Honor nem sequer conseguia ver qualquer movimento na caixa torácica que indicasse que o homem respirava. deu meia volta rápida e empurrou Emily suavemente para que voltasse a entrar em casa.
   - Queridinha, vai para o quarto da mamã. Traz-me o telefone que está em cima da mesa de cabeceira, por favor.  - Sem querer assustar a filha, falou-lhe o mais calmamente que lhe foi possível, após o que se apressou a descer os degraus do alpendre e correu através do relvado orvalhado em direção à figura caída por terra.
Letal
de Sandra Brown

"Eu olho para um quadro..."

                                                                          oglobo.globo.com


Texto Objetivo
Após uma análise atenta do quadro "A Dança da Vida" de Edvard Munch, pude constatar que os homens, vestidos de preto, dançam com os seus pares, vestidos de branco. Um casal está no centro e a mulher encontra-se vestida de vermelho. A assistir à dança desse casal estão duas mulheres: uma vestida de branco e outra vestida de preto. Todas estas pessoas encontram-se num relvado junto à praia. O relvado tem algumas flores e o sol encontra-se ao fundo, junto da linha do mar.
Texto Subjetivo
A dança e os sorrisos estampados nos rostos dos dançarinos representam alegria e festividade. Os olhares apaixonados que são trocados indicam paixão e amor. A mulher representada ao centro enverga um vestido de cor vermelha que pode simbolizar o amor e a paixão. A mulher vestida de branco, que se encontra a assistir à dança do casal, indica a paz e o amor e a aprovação da junção daquele casal. Pode representar o anjo que abençoa a união daquele homem e daquela mulher. A mulher vestida de preto que também se encontra a assistir à dança desse casal, indica a falta de liberdade, a tristeza e a dor da separação que pode vir a acontecer, a não-aceitação do envolvimento amoroso. Pode representar o demónio que deseja o mal, a dor, que não suporta o amor e que fará tudo para o destruir. O facto destas pessoas se encontrarem na praia pode simbolizar a liberdade e o mar, pode indicar a alegria infinita e o amor sem limites.
Ana Francisca
9ºC



Este planeta é a nossa casa...

Agora que se aproxima o Natal e porque estamos em tempo de crise económica, aqui têm uma belíssima ideia para uma prenda de Natal. Fica barato e...

www.facebook.com

...o planeta agradece!

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

"Eu olho para um quadro..."

                                                                    commons.wikimedia.org


Este quadro de Belmiro de Almeida, "Arrufos", pode ser caracterizado objetivamente e subjetivamente. Objetivamente temos um casal onde em que o homem está com um fato preto e a mulher com um vestido comprido bege. Os cabelos de ambos são pretos. O casal está dentro de uma casa pois veem-se sofás, camas e tapetes. Existe uma jarra partida cuja flor, uma rosa, está caída no chão. Subjetivamente venos que há tristeza e sofrimento por parte da mulher que está a chorar. Por sua vez, o homem mostra um certo relaxamento e superioridade. A situação localiza-se no século XIX pois vemo-lo nas roupas e na decoração da casa. O nome "Arrufos", significa uma zanga passageira e relaciona-se com a cena passada no quadro.
Carla Vanessa Monteiro da Silva 
9ºC

Livros (novos) da nossa biblioteca

                                                                            www.fnac.pt

Sigmund, o elefante com memória de formiga, Faruk, o cão que não farejava, e K'Pena, o pavão depenado são alguns dos amigos que encontrarás nestas "Fábulas de Perder e Ganhar". Com todos eles, vais ver que no meio de tudo o que se pode perder há muito que se pode ganhar. Lê estas fábulas e percebe como!
Memória de Elefante e Outras Fábulas de Perder e Ganhar
de Margarida Fonseca Santos
     Maria Teresa Maia Gonzalez
     Rita Vilela