terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Feliz Natal!


E que a paz que, nesta noite toma conta dos nossos corações, se prolongue pelos dias, meses e anos que se seguem.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

A Nossa Festa de Natal!

video

O grande tema foi o Amor. Temos que ouvir as nossas crianças porque elas sabem que é por aí que se vai mudar o mundo. Muitos parabéns a todos os participantes! Foi uma festa muito bonita.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Programa do espetáculo de Natal da EB Caldas de Vizela



É este o alinhamento para o espetáculo de Natal, amanhã, a partir das 08.45 horas. 

A 9 dias do Natal

video

"O Meu Sólido de Natal" - Exposição





Objetos alusivos à época natalícia e feitos nas aulas de matemática, estão expostos no bloco novo da nossa escola. Parabéns aos "matemáticos artistas"!

Palestra "Coaching Educacional Sistémico para Professores e Técnicos de Educação"

                                                                         annamikkii.org


A palestra irá decorrer pelas 18:00h na biblioteca da nossa escola. A oradora, Ana Pedroso, do Instituto Anna Mikii, virá falar-nos acerca das Crianças de Hoje. "Facilitar a sociedade através da introdução de novas pedagogias integrativas e instrumentos de evolução" são palavras que podemos ler no site do instituto. Como educadores e com a crise que impera no sistema educativo, é legítimo por vezes sentirmo-nos "perdidos" e sem estratégias para lidar com os nossos alunos. A ajuda é sempre bem-vinda. Apareçam!

Vem aí a festa de Natal...

video

Livros da nossa biblioteca

                                                                           www.fnac.pt

Nada consegue enervar Orvalho de Prata, que é a fada-da-água mais calma de todas. Mas é então que uma joaninha branca, considerada sinal de azar, poisa na sua cabeça e a sua vida, tão sossegada, vira-se do avesso. Ela não era o género de fada que andasse a perder coisas ou a quem acontecessem desastres...até agora. Orvalho de Prata não acredita em azares nem em velhas supertições idiotas, mas a verdade é que tudo o que de mau lhe tem sucedido começou quando encontrou aquela joaninha branca. Terão razão as outras fadas? Estará Orvalho de Prata a sofrer uma maldição?
Orvalho de Prata e o Mistério das Joaninhas
Gail Herman

domingo, 15 de dezembro de 2013

O Natal vem a caminho

video

Festa de Natal 2013

Pois... é já 3ª feira. Preparem-se!



Ler, doce ler, em época de Natal

Para o caso de não se lembrarem que vão ter uns dias para descansar das atividades letivas, ganhando assim algum tempo extra para alguma leitura, encontram uma pequena montra de livros no balcão de atendimento da BE. Desfrutem.  

Boas leituras! Bom natal!


Pagada fotográfica do Dia das Montanhas

Na passada 4ª feira, a Biblioteca assinalou o Dia Internacional da Montanha. As atividades decorreram em duas sessões: a 1ª às 10.20 horas, a 2ª às 12.00 horas. A primeira iniciou-se com uma homenagem musical aos monumentos da natureza que são as montanhas, graças ao professor Carlos Alberto Carvalho e aos seus alunos do 8º A. Assistiram os alunos do 5º A ( Formação Cívica ) e 6º A (Educação Musical).



A provar a vontade dos pais participar nas atividades escolares dos filhotes marcaram presença duas encarregadas de educação do 5º A que leram a história "Os guardiões da floresta"




Esta sessão terminou com uma apresentação do bombeiro Miguel Ribeiro sobre o problema dos incêndios florestais nas montanhas.


A partir das 12.00 horas o professor Aníbal Ruão  debateu com os alunos do 5º B ( Apoio ao Estudo) a biodiversidade das montanhas da nossa região, incluindo o monte de S. Bento das Pêras. Esta última sessão terminou com a construção de algumas árvores em origami, com as quais se construiu a árvore de natal da Biblioteca para este ano de 2013.




Sobre as montanhas é impossível dizer tudo em tão pouco tempo, subiu-se um bocadinho da encosta
E não esqueçamos: Todos os cidadãos são guardiões das suas florestas!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Com o fim de semana à porta...


Como já é costume à 6ª feira, fica aqui mais uma sugestão para decorações de Natal. Em origami ( técnica japonesa de dobragem de papel), uma árvore de Natal muito simples de fazer e que dá um resultado muito engraçado. O papel deve ter uma cor diferente de cada lado e 20x20 cms.

Livros da nossa biblioteca

                                                                                       troca-se.pt

Sentada no terraço, coloquei a folha na máquina de escrever e...fechei os olhos, inspirando a brisa salgada. De repente, uma sombra arrefeceu-me a cara e, quando abri os olhos, ali estava de novo o invasor de propriedade alheia, descontraído como sempre. 
- Que é que vais escrever aí? - perguntou-me, apontando a máquina.
- A história de uma mulher que vivia sozinha num prédio alto de uma cidade escura.
- Porque é que não escreves antes sobre o mar ou sobre uma viagem?
E é sobre o mar, e sobre uma viagem, e sobretudo sobre ele, o Dunas, que a escritora solitária, em férias na praia, escreveu esta novela desconcertante.
O Guarda da Praia
Maria Teresa Maia Gonzalez

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Este planeta é a nossa casa...



...e o planeta agradece!

Livros da nossa biblioteca

                                                                         www.fnac.pt

A Marta, como tantas outras raparigas com idades parecidas, fez uma opção. A opção da vida, a opção do amor. Fizeram-na também muitas outras, personagens deste livro, embora a sua situação tenha tido começos diferentes. Ao longo desta história vamos assistindo exactamente ao triúnfo dessa opção, a do Amor que dá vida; a triunfar sobre contrariedades e vicissitudes, sobre sacrifícios e tantas e tantas pequenas - grandes? - desistências de um dia-a-dia na vida de uma adolescente. Sem falsos moralismos, retratando uma situação que é cada vez mais real e actual, e tomando conbsciência, também, de como a necessidade de ajuda a estas jovens é indespensável, inadiável, apetece perguntar: onde é que ela está, essa ajuda? Onde estão as tantas promessas feitas há tão pouco tempo, a tanta gente, por tanta gente? A que existe não chega...
Tão Cedo, Marta
Maria Teresa Maia Gonzalez

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Dia Internacional das Montanhas

No âmbito do Dia Internacional das Montanhas, a biblioteca da nossa escola propõe algumas atividades cujo objetivo é levar-nos a fazer uma reflexão acerca da conservação e desenvolvimento das montanhas de uma forma equilibrada. Serão várias as atividades a decorrer na biblioteca - apresentação de um livro, momentos musicais e palestras que abordarão a prevenção de fogos, a pegada ecológica e a importância da biodiversidade. 



Livros da nossa biblioteca

                                                                      www.fnac.pt


   Foi um momento de déjà-vu.
   De visita à minha mãe, na sua casa de Montana, eu saíra sozinha num domingo de manhã, enquanto ela e a minha filha tinham ido nadar. Pouco passava das onze horas quando passeava pelo centro comercial. A maior parte das lojas ainda não estava aberta e, por conseguinte, o amplo recinto estava escuro, apenas iluminado pelas luzes de segurança.
   De repente, avistei-a. A uma certa distância, diante de mim, ao fundo da zona comercial, lá estava ela à sombra de um enorme vaso de plantas. Usava longos cabelos desgrenhados que lhe caíam sobre os ombros e uma franja que quase lhe tapava os olhos; os seus lábios grossos e sensuais sobressaíam numa expressão dramática. Estava de pé e tinha os braços firmemente cruzados diante do peito, os ombros erguidos e uma expressão de desafio no rosto; e, no entanto, havia algo de doloroso naquela ferocidade.
A Menina Que Nunca Chorava
de Torey Hayden

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Dia da Declaração Universal dos Direitos Humanos


Artigo 1.º
Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.

"As Voltas da Vida"

                                                              bibliotecaprt21.wordpress.com

A vida leva muitas voltas
que são difíceis de esquecer.
Momentos difíceis que passamos
até ao anoitecer.

A viagem da vida é longa
e não se pode descrever.
Não é chegada que conta
mas sim o que temos a fazer.

A liberdade de viajar
é o que há para adorar.
Experiências e lições de vida
que pensas ter desde a partida.

Soltar a nossa imaginação
em todos os momentos.
Com emoção
em todos os pensamentos.

E assim termino a poesia
sobre a viagem da alegria.
Paulo Magalhães e João Pereira
9ºA

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Este planeta é a nossa casa...

                                                                                                    p3.publico.pt

Esta casa custou apenas 180 euros. É toda feita com materiais  naturais e produtos encontrados no contentor do lixo. O seu construtor é um agricultor inglês que tem como máxima "uma casa não tem que custar a Terra - só precisas de terra para a construires". Espreita AQUI para conheceres os pormenores desta casa saída dos contos de fadas.

Livros da nossa biblioteca

                                                                     www.fnac.pt

   Lila abriu a porta do escritório. Estava escuro, lá dentro; já passava do meio-dia, mas as portadas continuavam fechadas. Dirigiu-se à janela, para deixar entrar ar e luz na bafienta divisão. O escrotório parecia deserto, mas mesmo assim verificoi debaixo da secretária e no grande armário, só para ter a certeza. Sócrates devia ter-se enfiado noutro sítio qualquer. Viu, em cima da secretária, uma casca de laranja, um pedaço de queijo e um copo com uns restos de líquido no fundo. Atirou a casca de laranja e o queijo para o caixote do lixo e pegou no copo, mas voltou a pousá-lo. Pensando melhor, ele que lavasse a sua própria louça. 
   Onde se teria metido? Já procurara no quarto e, considerando a inesperada chuvada que começara a cair, era pouco provável que o encontrasse lá fora, no laranjal. Naquele preciso instante, era suposto estar a presidir a uma reunião da Comissão de Gestão, mas S´crates raramente estava onde era suposto estar.
O Dia em que Sócrates Vestiu Jeans
de Lucy Eyre

"Viagem Sem Regresso"

                                                               www.momentometamorfose.com.br

Ao olhar para o horizonte
vejo a linha da vida
que se fecha quando o sol se põe
e me atiça o olhar.

O vento bate na areia
e desenterra a arma secreta
que me desfaz em ruínas
e que constrói o destino.
Ana e Soraia
9ºA

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Com o fim de semana à porta...

                                                               postaisilustrados.blogspot.com

Inaugura hoje, pelas 21:00h, na Casa das Coletividades,  a exposição "Museus Portugueses no Bilhete-Postal Ilustrado" promovida pela Avicella. Estarão patentes nesta exposição, bilhetes-postais das coleções de vários museus portugueses.

                                                                                                         

E porque estamos a chegar ao Natal e o fim de semana pode ser aproveitado para fazer decorações de Natal. Fica aqui esta ideia para uma coroa. E como vai estar sol durante o fim de semana, podem sempre aproveitar para um passeio ao ar livre à procura das pinhas. Bom fim de semana!

Descansa em paz, Madiba!


Nelson Mandela morreu. O mundo ficou mais pobre. Foi um grande exemplo de coragem e de persistência. Nos 27 anos em que esteve preso na cadeia de Robben Island, onde cumpria uma pena de trabalhos forçados, cada vez que se sentia a esmorecer, lia este poema. 
Dentro da noite que me rodeia
Negra como um poço de lado a lado
Agradeço aos deuses que existem
por minha alma indomável

Sob as garras cruéis das circunstâncias
eu não tremo e nem me desespero
Sob os duros golpes do acaso
Minha cabeça sangra, mas continua erguida

Mais além deste lugar de lágrimas e ira,
Jazem os horrores da sombra.
Mas a ameaça dos anos,
Me encontra e me encontrará, sem medo.

Não importa quão estreito o portão
Quão repleta de castigo a sentença,
Eu sou o senhor de meu destino
Eu sou o capitão de minha alma. 
William Ernest Henley

Livros da nossa biblioteca

                                                                   www.esferadoslivros.pt

Joaquim não queria acreditar no que os seus olhos viam. Tinha saído a salto de Portugal, viajando apertado em camionetas de gado, andando quilómetros e quilómetros a pé, à chuva e pela neve, quase tinha perdido a vida nos Pirinéus e agora estava ali, na capital portuguesa em França. O sítio onde, todos lhe garantiam, podia enriquecer e concretizar os seus sonhos. Mas o que via era um bairro da lata. Sentia os pés enterrarem-se na lama. Olhava para as barracas miseráveis e para os fardos de palha que faziam as vezes de uma cama. Mas Joaquim não estava disposto a baixar os braços...
Longe do Meu Coração
de Júlio Magalhães

"O Nómada"

                                                                       www.caminoways.com

A vida é uma viagem
com elas aprendemos.
Obstáculos surgem 
e desafios resolvemos.

Não me cinjo
a um só conhecimento.
Preciso viajar
para o meu desenvolvimento.

Viajo de local em local,
ostáculos ultrapasso.
Com a mente aberta,
eu enriqueço.
Tiago e João
9ºA

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

A visita do Dr. Simão


Hoje a EB dos Enxertos recebeu a visita do Dr. Simão, médico dentista. Veio para falar da saúde oral, dos cuidados que é necessário ter com a boca em geral e os dentes em particular. Como agradecimento, no fim da "consulta", os meninos cantaram uma canção e disseram um poema. Palavras do Dr. Simão: "Obrigado! Não estava à espera disto!"



"Aqueles..."

                                                            filhosdapoesia.blogspot.com

Aqueles que não têm nenhuma razão,
nenhum objetivo que os faça querer viver.
Aqueles que pensam que não têm nada
nem ninguém...
Aqueles que não se sentem especiais.
Aqueles que se sentem sozinhos,
isolados do mundo.
Como irão eles conseguir percorrer o seu caminho?
Como será acordar todos os dias e sair para o mundo?
Sempre com a sensação de estarem a mais...
Excluídos da sociedade.
Como será quererem partir para o futuro,
com todos os fantasmas do passado a impedi-los?
Como será sorrir sem motivos?
Como será adormecer sentindo que o dia nem chegou a existir?
Como será?
Alexandra e Ana
9ºF

Livros da nossa biblioteca

                                                                        www.fnac.pt

No dia em que a Rita fez anos, recebeu das mãos de um estranho homem uma prenda inquietante. A partir desse dia, nunca mais foi a mesma adolescente feliz. O seu universo familiar e afectivo sofreu um abalo tão profundo que a terra inteira pareceu voltar-se do avesso, levando nesse movimento os amigos, a escola, as aspirações e os sonhos de uma rapariga a quem nada faltava porque tudo lhe caía do céu protector da infância. Muitas vezes é-se subitamente adulto quando uma revelação incendeia a harmonia da juventude e não há lugar para guardar os segredos que vão fazendo nós na garganta. De repente, para Rita, o tempo e os lugares, os pais ou o namorado, a escola ou os centros comerciais onde costumava vaguear, deixaram de existir. Os seus quinze anos dividiram-se entre a verdade e a mentira, entre o sonho e a realidade, entre si e os outros.
Parabéns, Rita!
Maria Teresa Maia Gonzalez

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

"Partilha Inclusiva"






Inserida na atividade "Dia do Cidadão Portador de Deficiência", vai decorrer até 6ª feira, o momento de partilha com história e canção alusivos ao tema (no intervalo das 10:00h), bem como a tradicional "Feirinha da AIREV" para a angariação de fundos para esta instituição. Apareçam por cá e, comprem as vossas prendas de Natal e ajudem a contribuir para esta causa.

"As Malas da Vida"

                                                                   myvillacrespo.com

Malas leves e pesadas, lembranças
distantes com a crença de chegar.
Caminhos estreitos e perigosos, avanço sem temer, com calma.
Lentamente mas com o objetivo de chegar.Atravessando marés, desertos e tempestades,
sem nunca perder o rumo.
Malas pesadas e tristes,
mas há que seguir.
Desavenças e aventuras...tudo para lá chegar.
Malas leves como um dia de sol,
a espuma leve das ondas
e as águas salgadas a rebentar na costa.
Chegar, mas com calma.
Viver e aproveitar.
Vasco e Rui
9ºF

Livros (novos) da nossa biblioteca

                                                              olivrodolivro.blogspot.com

O verão era um dos mais quentes dos últimos anos. Isso ouvia o João, todos os dias, aos familiares e amigos. Para ele, que gostava de ar livre e que estava de férias, era o tempo perfeito. Depois de manhãs quentes e tardes tórridas seguiam-se noites abafadas que obrigavam as pessoas, na aldeia, a dormir de janelas abertas e por cima das mantas. Foi numa dessas noites que, acordado, a pensar nas suas aventuras, ouviu um cantar de grilo. Um "gri-gri" tão bonito que mal podia esperar pelo dia seguinte para ir procurar a gaiolinha que o pai lhe comprara no ano anterior.
- Vou buscar a gaiola, ponho lá dentro o grilo cantador e, assim, trago cá para o quarto um pouco da alegria do jardim! - disse de si para si, entre a chegada do sono e o sonho que se lhe seguiu.
O Grilinho Tenor
Palmira Martins

Reconto da história de José Saramago, "A Maior Flor do Mundo"

A  maior  flor  do  mundo


Era uma vez um menino que saiu do seu quintal e foi passear sozinho.
Foi na direção do rio mas cortou a direito pelos campos e bosques.
Ele ia muito feliz…
Andou, andou, andou e viu uma colina redonda como uma tigela voltada. Resolveu subi-la e, lá em cima, viu uma flor murcha. Tinha que a salvar… Ela precisava de água mas o rio estava tão longe!
O menino não desistiu e foi vinte vezes ao rio. De cada vez só conseguia dar à flor três gotas de água que trazia nas mãos.
A flor foi crescendo, crescendo… Já parecia uma árvore!
O menino ficou cansado e acabou por adormecer à sombra da flor. Ela quis agradecer-lhe e cobriu-o com uma das suas pétalas.
As horas passaram e os pais ficaram preocupados. Foram à sua procura e só o encontraram ao fim da tarde, a dormir.
Ficaram espantados ao ver aquela flor enorme!
O menino conseguiu salvar aquela flor. Todas as pessoas da aldeia acham que ele é um herói!


Ana Carolina Cunha
Francisco Alves
Pedro Caldas

4º F, EB Devesinha

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Poemas em...


 Poema em T

O Tiago
Teme o tsunami.

Os tigres
Os tamboris
As tulipas
Os terraços
As toupeiras
Temem o tsunami.

Oa trolhas
Os turistas
Os trapezistas
Os talhantes
Os tradutores
Temem o tsunami.

Os terrenos
Os teleféricos
Os túneis
Os teatros
As tascas
Temem o tsunami.

A Terra teme o tsunami.

Tempo,
Não tragas o tsunami.

Alunos do 3º B
EB Mª de Lurdes Sampaio e Melo
18/11/2013











Alunos do 3º D da EB da Devesinha